Geral | 02/05/2019 | 16:05:17
Em ato de 1º de Maio, milhares de trabalhadores aprovam greve geral em 14 de junho
A paralização será em protesto contra a PEC da Previdência
 
 
Milhares de trabalhadores e trabalhadoras tomaram a Orla do Guaíba, em Porto Alegre, na tarde ensolarada desta quarta-feira e participaram da programação unificada de 1º do Maio das centrais sindicais e movimentos sociais. Houve também atos em várias cidades do interior gaúcho, como Caxias do Sul, Rio Grande, Pelotas, Santa Maria, Bagé, Santa Cruz do Sul, Ijuí, Santa Rosa e Erechim, dentre outros.
Na capital gaúcha, após concentração na Rótula das Cuias, os participantes fizeram caminhada até a Rótula do Gasômetro, onde foi realizado um ato unitário com diversas manifestações, incluindo representantes de partidos de esquerda. Compareceram também deputados federais e estaduais e vereadores.

"Nós vamos derrotar essa reforma”

Ao se pronunciar, o presidente da CUT-RS, Claudir Nespolo, colocou em votação a proposta das centrais de realização de greve geral no dia 14 de junho contra a reforma da Previdência. O resultado não podia ser outro. A paralisação foi aprovada por consenso. "Nós vamos derrotar essa reforma”, afirmou.

Para Nespolo, "está caindo devagarzinho a ficha do povão porque está começando a arder e sentindo que o projeto deles é para liquidar o Brasil e o povo trabalhador”. Ele destacou a importância da unidade das centrais e o engajamento de todas federações e sindicatos, junto com os movimentos sociais, na organização e mobilização para derrotar essa proposta cruel e perversa do governo Bolsonaro.

Abaixo-assinado não para

O dirigente sindical falou também sobre o abaixo-assinado que as centrais estão passando para recolher adesões dos trabalhadores contra a reforma da Previdência. "As entidades filiadas à CUT assumiram o desafio de coletar 300 mil assinaturas no Rio Grande do Sul”, destacou.

"É uma forma concreta de cada pessoa se manifestar contra essa proposta que, se for aprovada no Congresso Nacional, deixará a população na pobreza e sem futuro”, denunciou. As listas serão entregues ao presidente da Câmara dos Deputados, depois da greve geral.

Clique aqui para acessar o abaixo-assinado.

Esquentando a mobilização

Antes da programação unitária, foi realizada uma plenária da CUT-RS, no auditório da Fetrafi-RS, esquentando a mobilização e atualizando as informações sobre a agenda do período. Estiveram presentes dirigentes de várias federações e sindicatos, representando diversos ramos, como bancários, metalúrgicos, educadores, municipários, sapateiros e trabalhadores da saúde, dentre outros.

Ao final, os participantes saíram em caminhada até a Rótula das Cuias, onde teve início a programação vitoriosa de 1º de Maio na capital gaúcha.
 
Veja cobertura completa no site da CUT-RS


Fotos: Marcus Peres (CUT-RS) e Caco Argemi (CPERS Sindicato)
Fonte: CUT-RS com CPERS Sindicato e Sul21